Aquarius de volta às missões de resgate no Mediterrâneo

Aquarius de volta às missões de resgate no Mediterrâneo
Direitos de autor REUTERS/Heino Kalis
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Depois de transportar mais de 630 migrantes para o porto de Valência, em Espanha, o Aquarius já encetou nova viagem para outras missões de resgate no Mediterrâneo

PUBLICIDADE

Aquele que se tornou nos últimos tempos no mais famoso navio de resgate de migrantes e refugiados no Mediterrâneo já deixou o porto de Valência, em Espanha, para uma nova missão em alto mar.

O Aquarius vai navegar durante três dias de regresso à tradicional zona de salvamentos, nas águas internacionais ao largo da Líbia.

O coordenador da SOS Méditerrannée Nicola Stalla afirma que a ONG "vai continuar a estar no mar enquanto o Aquarius for necessário".

A ONG francesa, que junto com a Médicos Sem Fronteiras gere o navio, apela aos governo europeus para assumirem responsabilidades e uma política comum face à crise migratória.

, médico da equipa da MSF, diz que "todas esta história [do Aquarius] pôs em evidência o facto de que os políticos não assumiram as suas responsabilidades e infringiram mesmo as leis marítimas internacionais".

Desde 2016, o Aquarius acolheu a bordo perto de 14.000 migrantes e refugiados resgatados de perigosas tentativas de travessia do Mediterrâneo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

A viragem da política de imigração da Alemanha: necessidade ou jogo político?

Mortes de migrantes no Canal da Mancha levantam questões em Londres e Paris

Salvini julgado por recusar desembarque de migrantes: "Orgulhoso do que fiz"