Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Tsipras de gravata para celebrar fim do programa de resgate

Tsipras de gravata para celebrar fim do programa de resgate
Direitos de autor
REUTERS/Costas Baltas
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Ainda que apenas de forma temporária, Alexis Tsipras pôs uma gravata para marcar o fim do programa de resgate à Grécia. Foi desta forma, cumprindo assim a promessa feita quando foi eleito em 2015, que o primeiro-ministro grego celebrou o acordo concluído pelos ministros das Finanças da Zona Euro acerca das modalidades da saída do terceiro programa de assistência a Atenas.

Tsipras afirmou: "As apostas devem ser honradas, quando alguém o merece. Para dizer a verdade, tenho alguma dificuldade [em usar a gravata], mas irei habituar-me. Lutei de uniforme, sem gravata, em encontros oficiais e informas, e continuarei a lutar. O gregos continuarão a ganhar muitos combates. Ganhámos uma batalha, mas não a guerra".

O Eurogrupo prevê o fim do terceiro programa de resgate para 20 de agosto. Entre as medidas decididas, ficou a extensão por 10 anos do prazo de pagamento dos empréstimos do Fundo Europeu de Estabilização Financeira e a atribuição de uma última tranche de 15 mil milhões de euros que permite a Atenas sair do programa com uma "almofada" de 24,1 mil milhões de euros.

A ministra grega do Trabalho, Efi Achtsioglou, diz que "a decisão do Eurogrupo garante o equilíbrio económico do país, não só a curto prazo, como também a médio e longo prazo".

O ministro grego do Ambiente, Giorgos Stathakis, acrescenta que ao "formalizar o fim do programa de resgate", o Eurogrupo "tomou uma decisão [...] que cria uma paisagem segura para o dia seguinte da economia grega".

Mas, enquanto os gregos estarão de olhos no primeiro-ministro para ver se passará adotar ou não de forma permanente um "look" mais formal, o Eurogrupo deixou claro que manterá uma vigilância pós-programa reforçada.