Muitas pessoas continuam a morrer no Mediterrâneo

Muitas pessoas continuam a morrer no Mediterrâneo
De  Nara Madeira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Desceu, substancialmente, o número de pessoas que morreram na travessia do Mediterrâneo ainda assim, e considerando as estimativas feitas, continua a ser muito elevado.

PUBLICIDADE

A perigosa travessia do Mediterrâneo, que muitas pessoas continuam a fazer, já custou a vida a, pelo menos, 1405 pessoas, desde o início do ano. Um número menor do que em 2017, ainda assim, superior às previsões, de acordo com a Organização para as Migrações. No ano passado, e no mesmo período, tinham morrido 2268 pessoas.

Desde sexta-feira passada pelo menos 218 pessoas morreram afogadas. Muitos corpos deram à costa na Líbia, principal país de trânsito para os refugiados que querem viajar pelo Mediterrâneo para a Europa.

Itália enviou mais 12 navios para apoiar a Guarda Costeira da Líbia. O novo executivo de coligação italiano, quer impor políticas duras contra os migrantes e está a negar aos navios das organizações não-governamentais o acesso aos seus portos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Navio humanitário Lifeline atracou em Malta com 233 migrantes a bordo

Mar calmo multiplica resgates de migrantes no Estreito de Gibraltar