Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Navio humanitário Lifeline atracou em Malta com 233 migrantes a bordo

Navio humanitário Lifeline atracou em Malta com 233 migrantes a bordo
Direitos de autor
REUTERS/Darrin Zammit Lupi
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Depois de uma semana em compasso de espera no Mediterrâneo, o navio humanitário Lifeline pode finalmente atracar no porto de La Valletta, em Malta, com 233 migrantes a bordo.

A chegada à ilha acontece algumas horas depois do primeiro-ministro maltês, Joseph Muscat, ter confirmado a disposição para acolher, ainda esta esta quarta-feira, o navio humanitário.

Segundo a ONG alemã responsável pela missão, vários passageiros necessitam de assistência médica.

A odisseia do Lifeline, que procurava há seis dias um porto de abrigo, atravessou as redes sociais, nas quais a ONG alemã repetiu o pedido de acolhimento a Malta e criticou o alheamento da Alemanha em toda esta situação. "Se houver mortes", escreveu-se, a responsabilidade será de Horst Seehofer, o controverso ministro do Interior do governo Merkel, que pretende fechar as fronteiras alemãs.

Para além de Malta, há outros sete países europeus que já se comprometeram a acolher parte dos migrantes do Lifeline: Itália, França, Espanha, Luxemburgo, Bélgica, Holanda e Portugal.

A questão migratória promete dominar o próximo Conselho Europeu, que decorre esta quinta e sexta-feira, com Angela Merkel e Emmanuel Macron a fazerem apelos urgentes para encontrar um consenso.