Última hora
This content is not available in your region

UE anuncia nova legislação para proteger empresas europeias

UE anuncia nova legislação para proteger empresas europeias
Tamanho do texto Aa Aa

A União Europeia anunciou hoje uma nova legislação para proteger as empresas europeias no Irão. Uma medida para minimizar o efeito das novas sanções dos Estados Unidos contra o país.

"Preservar o acordo nuclear com o Irão é uma questão de respeito dos acordos internacionais e uma questão de segurança internacional", foi esta a declaração conjunta da França, Alemanha e Reino Unido.

A porta-voz da Comissão Europeia, Mina Andreeva, disse que a legislação de bloqueio entra em vigor nesta terça-feira (7 de agosto): "A legislação de bloqueio da União Europeia entra em vigor amanhã, para proteger as empresas da UE, que fazem negócios legítimos com o Irão, do impacto das sanções extraterritoriais dos EUA."

São várias as grandes empresas europeias afetadas pelas novas sanções norte-americanas contra o Irão. Como o fabricante francês PSA (Peugeot Citroën), com cerca de um terço do mercado no Irão. A empresa disse no início de junho que iria suspender o investimento no país.

A Renault disse que quer manter a presença no Irão, mas sem colocar em risco os interesses da empresa.

A companhia petrolífera francesa Total avançou, em maio, que pretende desenvolver um campo de gás no Irão.

A Airbus anunciou contratos com companhias aéreas iranianas para 100 aviões. Foram entregues apenas três. No entanto, a perda do mercado iraniano não deverá ter grande impacto na fabricante de aviões europeia, que tem encomendas de mais de 7 mil aeronaves, no total.

O gigante alemão Siemens assinou acordos em 2016 relacionados com o gás natural e disse em maio que não faria novos negócios no Irão. A empresa disse na semana passada que pretendia respeitar as sanções dos EUA.

Já a construtora naval italiana Fincantieri assinou vários acordos com o Irão em 2016 e anunciou um aumento de 12,5% nas exportações para o país, no ano passado.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.