EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Caso Skripal: reunião de emergência do Conselho de Segurança das Nações Unidas

Caso Skripal: reunião de emergência do Conselho de Segurança das Nações Unidas
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Leonid Slutsky afirma que as acusações contra a Rússia são "uma provocação."

PUBLICIDADE

As relaçoes diplomáticas entre o Reino Unido e a Rússia depois do ataque contra Sergey Skripal e a sua filha vão de mal a pior. Depois do pedido de uma reunião de emergência do Conselho de Segurança das Nações Unidas por parte do Reino Unido após a emissão de mandados de captura para dois agentes dos serviços secretos militares russos acusados do ataque, as reacões na Rússia não tardaram.

A classe política está dividida entre aqueles que se mostram furiosos e aqueles que afirmam não ser nada de novo. No Conselho de Segurança ontem, o ministro-adjunto dos negócios estrangeiros russo mostrou-se aborrecido, afirmando que sabia que países iríam apoiar o Reino Unido e que o processo foi totalmente previsível.

As autoridades russas estão de perfeito acordo com o embaixador da Rússia nas Nações Unidas Vasily Nebenzya, que afirmou no Conselho de Segurança que a Rússia nega todas as acusações, nunca produziu ou armazenou o agente nervoso Novichok e nunca enviou nenhum agente secreto ao Reino Unido. O embaixador apelou à comunidade internacional para que a Rússia seja envolvida no processo de investigação dos ataques.

A Euronews falou com o chefe da comissão de relações exteriores da Duma federal russa Leonid Slutsky, que disse que os ataques e as reações aos ataques são um espetáculo mal encenado pelo Reino Unido cujo objetivo é tão somente o de denegrir a imagem da Rússia no mundo e garantir a imposição de mais sanções sobre o país.

"A onda de estupidez continua. Não é possível descrever a situação depois dos ataques de outra maneira. Consideramos que se trata de uma provocação. Não houve envenenamento, não houve envolvimento por parte de nenhum serviço especial russo, e nenhuma substância tóxica foi produzida na Rússia. Trata-se de uma provocação que visa a marginalização política e mediática da Rússia. E esta onda de estupidez já chegou ao Conselho de Segurança das Nações Unidas," afirmou.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Polícia Britânica divulga novas imagens do caso Skrypal

Stonehenge intacto após ato de vandalismo de ativistas pelo clima

Nigel Farage ultrapassou pela primeira vez partido do primeiro-ministro Rishi Sunak