Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Que futuro político para a Suécia?

Que futuro político para a Suécia?
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A jornada pós-legislativas na Suécia marca o início de um novo período de nervosismo até à formação de Governo. O futuro permanece incerto perante um xadrez político altamente fragmentado.

No escrutínio deste domingo nenhum dos dois blocos, de centro-esquerda e de centro-direita, assegurou a maioria, mas a extrema-direita, com a qual ninguém parece querer negociar, assumiu-se como fiel da balança. Com cerca de 18% dos votos, os Democratas da Suécia são a terceira força política.

Os resultados estão praticamente apurados e o bloco de centro-esquerda dos social-democratas do Primeiro-ministro Stefan Löfven, dos Verdes e do Partido de Esquerda soma 40,6% dos votos.

Uma vantagem pouco significativa em comparação com os 40,3% da Aliança opositora de centro-direita.

Os Democratas da Suécia asseguraram 62 assentos no Parlamento.

Nicholas Aylott, professor de ciência política na Universidade de Södertörn, comentou o desfecho eleitoral em entrevista à Euronews.

"Parece bastante provável que os social-democratas queiram manter o lugar do primeiro-ministro. Penso que é mais do que possível que os Verdes apoiem um Governo social-democrata de uma forma mais passiva. O cenário mais provável é que acabemos com um novo Governo apenas com social-democratas com o atual primeiro-ministro a desempenhar o mesmo papel", sublinhou Nicholas Aylott.

Os resultados oficiais são divulgados esta quarta-feira porque os votos dos suecos que vivem no estrangeiro ainda estão a ser contabilizados. Até lá começam os jogos de bastidores para formar alianças.

Jona Källgren, Euronews - O que é que se segue? Que tipo de Governo é que a Suécia terá? De que forma é que vão operar? Que influência é que os Democratas da Suécia, de extrema-direita, terão? Para já, permanece uma incógnita. As negociações vão começar mas serão precisos dias ou até semanas antes do resultado final desta eleição se tornar claro.