Última hora

Última hora

Suécia: Sociais-democratas procuram coligação

Em leitura:

Suécia: Sociais-democratas procuram coligação

Suécia: Sociais-democratas procuram coligação
Tamanho do texto Aa Aa

Na sede do Partido Social-Democrata da Suécia, que tem governado, o clima da noite eleitoral era de festa, apesar de o resultado ter ficado muito aquém do desejado.

O partido do primeiro-ministro, Stefan Löfven, perde mais de três pontos percentuais e vê-se obrigado a negociações com vista a uma coligação governamental. A tarefa promete não ser fácil, mas os apoiantes não deixam de celebrar:

"Não é o melhor resultado que poderíamos ter tido (...), mas penso que é um bom resultado, ver que os principais partidos continuam a ser os mais votados apesar de os Democratas da Suécia estarem a ganhar terreno", afirma um jovem.

Outra jovem exprime: "Estou um bocadinho frustrada, claro, mas fizemos uma boa eleição. Temos esperança nos valores que defendemos e isso, para mim, é o mais importante".

Com resultados muito equilibrados entre os dois grandes blocos políticos, o fiel da balança poderá ser o partido da direita, populista e anti-imigração que conseguiu mais de 17% dos votos.

O repórter da Euronews em Estocolmo faz uma breve análise da noite eleitoral:

"Bem, agora é mais do que evidente que esta é uma eleição sem vencedor, nem perdedor, claro. Os rostos sombrios aqui na sede do Partido Social-Democrata foram substituídos, de alguma forma, pelo que pode ser descrito como uma celebração. O partido sentia que esta seria uma eleição historicamente má mas, ainda assim, foi melhor do que temiam os seu líderes. Do outro lado, os Democratas da Suécia, o partido de direita, populista e anti-imigração fez, por seu turno, uma eleição historicamente boa, mas não tão boa quanto esperavam. É agora tempo de passar à mesa das negociações, para se saber que tipo de coligação vai governar este país, o que, provavelmente, levará dias, semanas, ou, talvez, até meses".