Última hora

Última hora

Theresa May quer propostas concretas da UE

Em leitura:

Theresa May quer propostas concretas da UE

Theresa May quer propostas concretas da UE
Tamanho do texto Aa Aa

As conversações sobre o Brexit, entre a União Europeia e o Reino Unido, chegaram a um impasse. É o que diz a própria primeira-ministra britânica, Theresa May, depois de a cimeira de Salzburgo ter acabado com os Estados-membros a rejeitar as propostas de Londres. May quer que Bruxelas apresente contra-propostas concretas.

"Simplesmente rejeitar as propostas da outra parte sem uma explicação e contrapropostas detalhadas não é aceitável. Precisamos de ouvir, da União Europeia, quais são os verdadeiros problemas e quais as alternativas, para que os possamos discutir. Até lá, não pode haver progresso. Vamos continuar a preparar-nos para o cenário de não-acordo", disse a primeira-ministra britânica.

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, diz que acredita que a União Europeia e o Reino Unido ainda vão conseguir chegar a acordo: diz-se amigo do Reino Unido e admirador de Theresa May.

Já a primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, foi bastante menos diplomática. Para ela, as palavras de May são desastrosas e o Partido Conservador "vai pagar um preço político alto se não houver acordo".

Reações de Nicola Sturgeon no Twitter

Oposição quer eleições antecipadas

Um preço político que o líder da oposição Jeremy Corbyn quer ver May pagar nas urnas: "Se o governo não conseguir ter sucesso nas negociações e não conseguir acabar essas negociações e aprová-las no Parlamento, então chegou a hora de eleições gerais", diz o líder trabalhista.

Segunda-feira é dia de reunião de emergência do Conselho de Ministros. Ou aparece um plano B, diferente do acordo de Chequers, ou pode haver demissões no governo.

Jeremy Corbyn diz que estratégia de negociação do Brexit tem sido um "desastre".