Caso Skripal: Jeremy Hunt deixa avisos ao Kremlin

Caso Skripal: Jeremy Hunt deixa avisos ao Kremlin
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As últimas revelações sobre o caso Skripal tornam a tese russa cada vez menos credível. O ministro britânico dos Negócios Estrangeiros deixa avisos ao Kremlin.

PUBLICIDADE

Com as últimas revelações do caso Skripal a deitarem por terra as teses russas, as autoridades britânicas lançam avisos a Putin. O ministro britânico dos Negócios Estrangeiros, Jeremy Hunt, disse na convenção dos Conservadores: "A Grã- Bretanha tem uma simples mensagem para o Kremlin: se tentarem intimidar este país, se usarem armas químicas, se não respeitarem as regras internacioais, então o preço a pagar será muito alto".

Uma investigação conjunta de jornalistas russos e britânicosa avançou que o homem que a Rússia afirma ser o turista Rouslan Bachirov, ser´á, afinal, Anatoli Chepiga, um coronel do GRU, os serviços secretos militares russos. A polícia britânica, por seu lado, identificou um terceiro agente dos serviços secretos russos que terá estado em Salisbury em missão de reconhecimento, antes do envenenamento dos Skripal.

A investigação que pôs em causa a versão russa foi levada a cabo conjuntamente pelo site britânico "Bellingcat" e o seu parceiro russo, "The Insider".

O responsável do projeto "The Insider", Roman Dobrokhotov diz: "É difícil afirmar que (Anatoliy) Chepiga é uma pessoa totalmente diferente, que não se parece com Boshirov, porque alguém perguntará imediatamente - pode mostrar-nos esse senhor Chepiga? - e nós vamos ver se se parecem. É claro que eles podem mostrar uma pessoa completamente diferente e apresentá-la como Chepiga, mas essa pessoa também terá parentes e amigos, e nós descobriremos o seu verdadeiro nome e eles terão que encontrar novas desculpas. "

O antigo espião russo, Sergei Skripall e a filha foram envenenados em Salisbury, com um gás nervoso de origem militar russa. Os Moscovo tem feito tudo para baralhar as pistas, mas as revelações sucessivas tornam a tarefa cada vez mais complicada.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Embaixador da Autoridade Nacional Palestiniana em Espanha: "É possível que já estejamos a viver uma guerra mundial"

Forças russas matam dois suspeitos de planearem ataques terroristas

Sul-coreanos despedem-se, emocionados, de panda gigante