Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Marinha dos EUA acusa navio chinês de manobra agressiva

Marinha dos EUA acusa navio chinês de manobra agressiva
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A Marinha dos Estados Unidos diz que um navio de guerra chinês no Mar do Sul da China aproximou-se “perigosamente” de um contratorpedeiro, forçando-o a mudar a trajetória.

De acordo com o porta-voz da Frota do Pacífico dos EUA, durante uma operação da marinha, no arquipélago Spratly um navio chinês "convidou" o contratorpedeiro a deixar a área.

Uma manobra "agressiva (...) perigosa e pouco profissional”, disse o porta-voz, acrescentando que o navio foi forçado a "manobrar para evitar uma colisão".

Pequim reivindica quase todo o Mar do Sul da China.

Nos últimos anos, construiu sete recifes em ilhas artificiais, capazes de receber instalações militares em zonas disputadas pelos países vizinhos.

As novas ilhas ficam próximas de ilhas ocupadas pelo Vietname, Filipinas e Taiwan.

Malásia e o Brunei são outros dos países que disputam a jurisdição na zona, rica em pesca e potenciais depósitos de combustíveis fósseis.

A China acusa os EUA, que regularmente patrulham as águas de se intrometerem numa disputa que é puramente asiática.

Este mar estratégico, por onde passam anualmente cerca de 4,2 biliões de euros em mercadorias, terá vastas reservas de gás e petróleo.