Última hora

Última hora

Liga dos Campeões: FC Porto afirma-se, Liverpool perde em Nápoles

Em leitura:

Liga dos Campeões: FC Porto afirma-se, Liverpool perde em Nápoles

Moussa Marega assinou o único golo do triunfo portista sobre o Galatasaray
@ Copyright :
REUTERS/Miguel Vidal
Tamanho do texto Aa Aa

FC Porto, Nápoles e Barcelona figuram entre os destaques do fecho da segunda jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões.

Os "dragões" receberam o Galatasaray e, depois do empate no reduto do Shalke 04, conseguiram a primeira vitória.

Poucos dias após a grave lesão que vai afastar por seis meses o camaronês Vincent Aboubakar dos relvados, o maliano Moussa Marega foi chamado por Sérgio Conceição para liderar o ataque, com o mexicano Jesus Corona a dar profundidade pela direita.

A receita revelou-se curta, mas suficiente para levar a equipa ao sucesso. A abrir a segunda parte, a cruzamento de Alex Telles da esquerda, Marega fez o único golo do jogo.

Iker Casillas somou mais um jogo e um triunfo aos recordes que detém como jogador com mais presenças e triunfos na Liga dos Campeões (agora 180/102), manteve a baliza bem fechada e, no final, o treinador Sérgio Conceição assumiu a responsabilidade do FC Porto no grupo D.

"Somos o oitavo clube com mais vitórias na 'Champions' e, a seguir ao Barcelona e Real de Madrid, aquele que tem mais presenças nesta competição. É um tremendo orgulho e responsabilidade trabalhar aqui e poder representar um clube tão histórico como o FC Porto. Historicamente, posso dizer: somos os favoritos. Não há que esconder nem ter medo das palavras, mas sabemos que o grupo é muito equilibrado. Hoje (quarta-feira) o Schalke foi ganhar à Rússia e tem também quatro pontos. O Galatasaray ganhou o primeiro jogo contra o Lokomotiv, 3-0, e tem três", sublinhou o treinador portista.

O triunfo alemão em Moscovo foi alcançado aos 88 minutos. Weston McKennie concluiu entre a defesa russa um canto muito bem marcado por Konoplyanka.

O Lokomotiv teve os portugueses Éder e Manuel Fernandes no "11" tinha desperdiçado algumas boas chances no decorrer do jogo, mas voltou a não marcar e a ser penalizado.

Os campeões russos recebem o FC Porto dia 24 de outubro e o destino dos moscovitas na prova passa muito por este duelo com os campeões portugueses.

Grupo C ao rubro

A equipa do português Mário Rui vinha de um empate em Belgrado diante do Estrela Vermelha e o Liverpool de um triunfo em casa sobre o "milionário" Paris Saint-Germain.

Os ingleses desta vez não conseguiram impor-se e acabaram derrotados com um golo de Lorenzo Insignie aos 90 minutos, culminando uma excelente jogada ofensiva dos italianos.

O treinador Carlo Ancelotti partilha o sucesso da jornada com a Juventus, a AS Roma e o Inter de Milão, e fala de um grande regresso do "calcio" ao futebol europeu.

"Esta noite demos um murro na mesa e confirmámos que este grupo vai ser difícil para todos. Talvez as hierarquias estejam a mudar na Liga das Campeões, não sei, mas o certo é que as equipas italianas começaram bem e isto é bom para o futebol italiano", defendeu o treinador do Nápoles.

Do lado do Liverpool, o treinador Jurgen Klopp resignou-se. "É sempre um mau sinal quando temos de eleger o guarda-redes como o nosso melhor jogador e neste jogo é óbvio que o foi", assumiu o alemão.

Na outra partida do grupo C, o PSV recebeu e goleou (6-1) o Estrela Vermelha, numa grande noite de Neymar. O brasileiro assinou um "hat trick", incluindo dois livres irrepreensíveis.

Na próxima jornada, o PSG recebe o líder do grupo, o Nápoles, e o Liverpool visita Belgrado.

AS Mónaco em queda

Campeã francesa em 2017 e líder absoluta na venda de jogadores nos dois últimos anos, a equipa de Leonardo Jardim continua com zero pontos nesta edição da Liga dos Campeões.

Depois da derrota em casa (1-2) diante do Atlético de Madrid, desta vez a AS Mónaco, sem jogadores portugueses na ficha de jogo, saiu de Dortmund com um desfecho ainda mais pesado.

Os golos surgiram todos na segunda parte. O dinamarquês Jacob Bruun Larsen abriu o marcador aos 51 minutos, o espanhol Paco Alcácer dilatou a vantagem pouco depois de ter desperdiçado numa grande penalidade e, já nos descontos, o alemão Marco Reus ficou o 3-0 final.

Em Madrid, o Club Bruge ainda empatou a partida após o golo inaugural do francês Antoine Griezman, mas na segunda parte dos "colchoneros" colocaram os "pontos nos is".

Sem o lesionado Gelson Martins na ficha de jogo, Griezman bisou aos 67 minutos e já nos descontos Koke estabeleceu o 3-1 final.

Na próxima jornada os dois líderes do grupo, Borussia e Atlético, defrontam-se em Dortmund. A AS Mónaco desloca-se a Bruges e pelo menos uma das equipas irá conseguir pontuar.

Leo Messi de "pé quente"

O Barcelona surgiu nesta edição da Liga dos Campeões em grande e logo aos dois minutos do duelo fora com aquele que seria à partida o principal rival neste grupo B, o Tottenham, os catalães já se colocavam em vantagem.

Philipe Coutinho abriu o marcador a passe de Jordi Alba, o rei das assistências nesta partida como veremos. Ainda assim, à passagem da meia hora, foi o brasileiro a passar de finalizador a assistente no golo de Rakitic, que parecia resolver tudo em Wembley.

Já na segunda parte, o Tottenham relançou a partida com um golo de Harry Kane. O avançado inglês "deitou" o português Nélson Semedo (titular nos catalães) e estreou-se a marcar nesta edição da prova.

Aos 56 minutos, Jordi Alba voltou às assistências para no primeiro golo da noite de Lionel Messi, num lance em que as simulações de Coutinho e Luís Suaréz também se revelaram determinantes para deixar o argentino na cara do golo.

Erik Lamela voltaria a reduzir para os anfitriões, aos 66 minutos, mas sobre os 90, de novo a passe de Alba, Messi fez o quinto golo na prova, é o líder dos goleadores na "Champions" e confirmou o Barcelona no topo do grupo, com os mesmos seis pontos do Inter de Milão.

De regresso à Liga dos Campeões, os "nerazurri" (com João Mário fora dos convocados) deslocaram-se a Eindhoven e venceram o PSV, por 1-2.

A liderança está em jogo na próxima jornada, com a visita do Inter a Camp Nou.