Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Rússia: reações às novas acusações dos Estados Unidos e Holanda

Rússia: reações às novas acusações dos Estados Unidos e Holanda
Tamanho do texto Aa Aa

“Os Estados Unidos tomaram um rumo perigoso ao incitarem tensão nas relações entre duas potencias nucleares.” Foi assim que o ministro-adjunto dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergei Ryabkov, comentou as mais recentes acusações de envolvimento em ataques cibernéticos (hacking) de membros do Departamento Central de Inteligência da Rússia (GRU), alegadamente feitos com vista à obtenção de informações sobre antidoping nos Jogos Olímpicos. O ministro defendeu que as acusações não têm qualquer fundamento e que o único objetivo de Washington é justificar a imposição de novas sanções.

As acusações acontecem horas depois de as autoridades holandesas anunciarem terem impedido uma tentativa de fraude eletrónica por parte de quatro agentes da inteligência russa, agora expulsos do país, com vista à interferência na rede da Organização para a Proibição de Armas Químicas, em Haia, no passado mês de abril.

Relativamente às acusações da Holanda, o ministro dos negócios estrangeiro russo Sergey Lavrov afirmou que se trata de “um ato de propaganda fictício.” O comunicado do ministério refere que a expulsão dos quatro russos foi feita seis meses depois do alegado facto e está relacionada com a conferência da Organização para a Proibição de Armas Químicas agendada para a próxima semana.

Nesta conferência, as potencias aliadas do ocidente irão tentar ativar os novos poderes da organização, aprovados em junho, para identificar e punir os responsáveis por ataques químicos, decisão à qual a Rússia se opõe firmemente.