Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Brasil 2018: Mensagens de uma campanha que se intensifica

Brasil 2018: Mensagens de uma campanha que se intensifica
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A pouco mais de uma semana da segunda volta das eleições presidenciais Brasileiras, os dois candidatos esforçam-se por fazer passar uma mensagem clara e de chegar ao maior número de eleitores possível.

Jair Bolsonaro, o candidato da direita populista, que muitos não duvidam em definir como o candidato da extrema-direita, foi até à sede do Batalhão de Operações de Polícias Especiais, a unidade de elite da polícia militar do estado do Rio de Janeiro (BOPE).

O candidato do Partido Social Liberal (PSL) foi à sede do BOPE pela manhã e chegou com uma mensagem securitária. Foi recebido por membros do batalhão e partilhou, de forma determinada, a sua determinação em lutar contra o crime.

Os jornalistas não puderam entrar e o candidato do PSL não respondeu a questões nem à entrada, nem à saída. As imagens que chegaram às televisões foram gravadas por um membro da equipa de comunicação da campanha de Bolsonaro.

Em São Paulo, Fernando Haddad, o candidato do Partido dos Trabalhadores (PT), falou com os jornalistas, numa conferência de imprensa centrada no programa eleitoral.

Durante a conferência de imprensa, o candidato da esquerda aproveitou para dizer que rejeitava um discurso político a favor da violência. Disse também que o seu rival da direita tinha mostrado, em diversas ocasiões, "desprezo pela democracia."

Eleições polarizadas

Estas são as eleições mais polarizadas no Brasil desde o regresso à democracia, em 1985. Para além da virulência no discurso político durante os encontros de campanha, têm-se registados diversos episódios de violência entre partidários de Bolsonaro e Haddad.

O discurso de ódio, principalmente contra a comunidade homossexual e afro-brasileiros tem também registado um aumento, associado a partidários do candidato da direita populista, Jair Bolsonaro.

De acordo com a última sondagem publicada no Brasil, da responsabilidade do centro de investigação Ibope para a TV Globo e para o jornal Estado de São Paulo, Jair Bolsonaro lidera as intenções de voto, com 59%. Fernando Haddad receberia, de acordo com a sondagem, 41% dos votos.