Última hora

Última hora

Brasil 2018: Mensagens de uma campanha que se intensifica

Em leitura:

Brasil 2018: Mensagens de uma campanha que se intensifica

Brasil 2018: Mensagens de uma campanha que se intensifica
Tamanho do texto Aa Aa

A pouco mais de uma semana da segunda volta das eleições presidenciais Brasileiras, os dois candidatos esforçam-se por fazer passar uma mensagem clara e de chegar ao maior número de eleitores possível.

Jair Bolsonaro, o candidato da direita populista, que muitos não duvidam em definir como o candidato da extrema-direita, foi até à sede do Batalhão de Operações de Polícias Especiais, a unidade de elite da polícia militar do estado do Rio de Janeiro (BOPE).

O candidato do Partido Social Liberal (PSL) foi à sede do BOPE pela manhã e chegou com uma mensagem securitária. Foi recebido por membros do batalhão e partilhou, de forma determinada, a sua determinação em lutar contra o crime.

Os jornalistas não puderam entrar e o candidato do PSL não respondeu a questões nem à entrada, nem à saída. As imagens que chegaram às televisões foram gravadas por um membro da equipa de comunicação da campanha de Bolsonaro.

Em São Paulo, Fernando Haddad, o candidato do Partido dos Trabalhadores (PT), falou com os jornalistas, numa conferência de imprensa centrada no programa eleitoral.

Durante a conferência de imprensa, o candidato da esquerda aproveitou para dizer que rejeitava um discurso político a favor da violência. Disse também que o seu rival da direita tinha mostrado, em diversas ocasiões, "desprezo pela democracia."

Eleições polarizadas

Estas são as eleições mais polarizadas no Brasil desde o regresso à democracia, em 1985. Para além da virulência no discurso político durante os encontros de campanha, têm-se registados diversos episódios de violência entre partidários de Bolsonaro e Haddad.

O discurso de ódio, principalmente contra a comunidade homossexual e afro-brasileiros tem também registado um aumento, associado a partidários do candidato da direita populista, Jair Bolsonaro.

De acordo com a última sondagem publicada no Brasil, da responsabilidade do centro de investigação Ibope para a TV Globo e para o jornal Estado de São Paulo, Jair Bolsonaro lidera as intenções de voto, com 59%. Fernando Haddad receberia, de acordo com a sondagem, 41% dos votos.