Última hora

Última hora

Brexit: o tempo não volta atrás (Análise)

Em leitura:

Brexit: o tempo não volta atrás (Análise)

Brexit: o tempo não volta atrás (Análise)
Tamanho do texto Aa Aa

No dia em que Theresa May chega a Bruxelas para participar no encontro do Conselho Europeu dedicado ao Brexit, é preciso ter em conta que o tempo passa e Bruxelas e Londres não se põem de acordo quanto a uma saída ordeira do Reino Unido enquanto membro da União Europeia. Para Darren McCaffrey, editor de política da Euronews, o acordo é quase impossível, mas não totalmente.

"A primeira-ministra britânica chega hoje a Bruxelas e vai tentar manter um tom otimista, dizer que foram feitos progressos nestas negociações.

No entanto poucos esperam que possa ser alcançado um acordo.

Isto porque a União Europeia diz que o Reino Unido deve aceitar manter a Irlanda do Norte na união aduaneira. Mas Governo britânico afirma que essa medida será prejudicial para o Reino Unido.

Por isso, podem acontecer duas coisas nesta cimeira:

Por um lado, a União Europeia pode decidir que foram feitos progressos suficientes para que as negociações avancem e que um acordo é ainda possível, seja em novembro, seja em dezembro.

Por outro, os líderes europeus podem concluir que não foram feitos progressos suficientes. Neste caso é necessário pensar na inexistência de um acordo e na possibilidade de um novo encontro do Conselho Europeu com os 27 líderes para debater se e como é que o Reino Unido sai da União Europeia."