Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Brexit: o tempo não volta atrás (Análise)

Brexit: o tempo não volta atrás (Análise)
Tamanho do texto Aa Aa

No dia em que Theresa May chega a Bruxelas para participar no encontro do Conselho Europeu dedicado ao Brexit, é preciso ter em conta que o tempo passa e Bruxelas e Londres não se põem de acordo quanto a uma saída ordeira do Reino Unido enquanto membro da União Europeia. Para Darren McCaffrey, editor de política da Euronews, o acordo é quase impossível, mas não totalmente.

"A primeira-ministra britânica chega hoje a Bruxelas e vai tentar manter um tom otimista, dizer que foram feitos progressos nestas negociações.

No entanto poucos esperam que possa ser alcançado um acordo.

Isto porque a União Europeia diz que o Reino Unido deve aceitar manter a Irlanda do Norte na união aduaneira. Mas Governo britânico afirma que essa medida será prejudicial para o Reino Unido.

Por isso, podem acontecer duas coisas nesta cimeira:

Por um lado, a União Europeia pode decidir que foram feitos progressos suficientes para que as negociações avancem e que um acordo é ainda possível, seja em novembro, seja em dezembro.

Por outro, os líderes europeus podem concluir que não foram feitos progressos suficientes. Neste caso é necessário pensar na inexistência de um acordo e na possibilidade de um novo encontro do Conselho Europeu com os 27 líderes para debater se e como é que o Reino Unido sai da União Europeia."