Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Notícias falsas podem ter beneficiado Bolsonaro

Notícias falsas podem ter beneficiado Bolsonaro
Tamanho do texto Aa Aa

A polémica em torno das eleições presidenciais no Brasil sob de tom. Dois candidatos, Jair Bolsonaro e Fernando Haddad, e muita troca de acusações à mistura.

Num trabalho de investigação a "Folha de S. Paulo" diz que há empresas que pagaram, em contratos que chegariam a 12 milhões de reais, o envio de conteúdos contra o candidato do Partido dos Trabalhadores, através do "WhatsApp".

O PT já reagiu, através de Haddad, naturalmente, mas não só. Para os advogados da formação de Lula da Silva a campanha de Bolsonaro foi beneficiada pela proliferação destas notícias falsas e já foi pedido ao Tribunal Superior Eleitoral que investigue a campanha de Bolsonaro. Querem o afastamento do candidato do PSL da corrida eleitoral.

As reações não se fizeram esperar. Enquanto o Tribunal Superior Eleitoral pede cautela na forma como se gere a liberdade de expressão e a maioria dos seus representantes defendem que é a justiça eleitoral a principal vítima das referidas "fake news", artistas brasileiros apontam baterias à presidente deste órgão, Rosa Weber.

Já o candidato presidencial da extrema-direita - que continua à frente nas sondagens, a última da Datafolha dá-lhe 59 por cento de votos contra 41 de Haddad, na segunda volta - nega tudo aquilo de que é acusado. As empresas que estão no meio desta polémica também.