A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

"Caso dos e-mails" chega à família Trump

"Caso dos e-mails" chega à família Trump
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Depois da história dos e-mails de Hillary Clinton, é a vez de Ivanka Trump.

Ivanka, filha e também conselheira do presidente norte-americano, está a ser acusada de ter usado o endereço de mail pessoal para tratar de assuntos governamentais no ano de 2017, o que vai contra às leis federais dos EUA.

A notícia foi avançada pelo jornal The Washington Post, esta segunda-feira.

Ivanka terá enviado centenas de e-mails no ano passado para assessores da Casa Branca e funcionários do gabinete, através de uma conta pessoal, segundo a denúncia feita pelo jornal.

As autoridades para a ética da Casa Branca fizeram uma análise revelada agora, que diz que, em grande parte de 2017, Ivanka frequentemente "discutiu ou retransmitiu negócios oficiais da Casa Branca" usando uma "conta de e-mail privada" com um domínio que ela compartilhava com o marido, Jared Kushner.

Notícia do The Washington Post

A denúncia alarmou alguns conselheiros de Donald Trump, o qual, segundo o The Washington Post, temia que as práticas da sua filha tivessem semelhanças com o uso pessoal de e-mail de Hillary Clinton.

Também ainda segundo aquilo que o _The Washington Post _publicou, Donald Trump, ao ser conforntado com a investigação a Ivanka, disse "não conhecer ao detalhe" os contornos da lei federal. Afirmação que é vista, para muitos, como uma ironia, tendo em conta toda a campanha eleitoral de 2016 e o "caso dos emails" levantado contra a candidata democrata pelo próprio Donald Trump.