Última hora
This content is not available in your region

Administração da Nissan confirma saída de Ghosn

Administração da Nissan confirma saída de Ghosn
Tamanho do texto Aa Aa

Carlos Ghosn já não é presidente da Nissan. O franco-brasileiro foi oficialmente afastado do posto cimeiro da construtora japonesa, na reunião do conselho de administração, enquanto se espera uma decisão semelhante por parte da casa-mãe Renault, também presidida por Ghosn.

É o fim de um reinado de 19 anos de Ghosn à frente da Nissan. Duas décadas ao longo das quais ganhou o título de Cost Killer, o matador de custos, que salvou a empresa da falência. Chegou depois da compra de uma participação de 36% por parte da Renault e chegou depois à presidência também do grupo francês. Ghosn está detido no Japão e enfrenta acusações de fraude fiscal. Esta semana, a procuradoria japonesa aumentou em mais dez dias a detenção provisória.

A Renault apontou já o até agora número dois, Thierry Bolloré, como substituto interino. O conselho de administração do gigante francês reúne-se nos próximos dias e o mais provável é que a queda do pedestal seja completa e Ghosn, visto como um herói entre os patrões da indústria automóvel, que até teve uma biografia editada em manga, tenha de deixar a presidência.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.