EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Ghosn preso até ao primeiro dia de 2019

Ghosn preso até ao primeiro dia de 2019
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Tribunal japonês prolongou pena do ex-presidente da Renault e da Renaut-Nissan, que está acusado de fraude fiscal

PUBLICIDADE

Carlos Ghosn , o ex-presidente da Renaut e da aliança Renaut Nissan, vai permanecer preso até ao dia 1 de janeiro de 2019.

A decisão de prolongar a pena foi anunciada este domingo pelo tribunal japonês.

O empresário franco-brasileiro foi detido dia 19 de novembro, por alegada fraude fiscal. Ghosn terá provocado perdas de investimento no valor de 16 mil milhões de dólares depois de alegadamente ter prestado falsas informações nos relatórios e contas da empresa.

Carlos Ghosn esteve 19 anos à frente da Nissan, duas décadas que o tornaram um dos homens mais respeitadas no mundo empresarial japonês por ter evitado que a empresa fosse à falência.

Agora, enfrenta acusações de "má conduta financeira" dentro do império automóvel que ajudou a erguer.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Carlos Ghosn fica detido e enfrenta nova acusação

Ex-CEO Carlos Ghosn e Nissan formalmente acusados

Administração da Nissan confirma saída de Ghosn