Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

General Motors vai encerrar oito fábricas

General Motors vai encerrar oito fábricas
Tamanho do texto Aa Aa

A General Motors (GM) vai suspender a produção em cinco fábricas na América do Norte, quatro nos Estados Unidos e uma no Canadá. A restruturação da construtora de automóveis implica uma redução de 15% no número de trabalhadores, até ao final de 2020. Em causa estão cerca de 14 mil postos de trabalho.

A decisão da empresa foi criticada pelo presidente dos Estados Unidos, após um telefonema à presidente-executiva da GM, Mary Barra. "Fui muito duro. Falei com ela quando ouvi que iam fechar e disse-lhe que este país fez muito pela General Motors, é melhor voltar para lá em breve, para Ohio. É melhor voltar rapidamente.Portanto, fizemos muita pressão, atrav'es de senadores e muitas outras pessoas. Muita pressão!...", declarou Donald Trump.

Entre as unidades encerradas está a de Oshawa, no Canadá. Uma fábrica de montagem onde 3 mil postos de trabalho ficam em causa.

No parlamento, também o primeiro-ministro Justin Trudeau lamentou as consequências da estratégia da construtora de automóveis. "Estamos dececionados com a decisão da General Motors sobre a fábrica em Oshawa, como parte da reestruturação global. Os nossos pensamentos estão com aqueles cujos empregos vão ser afetados e as suas famílias", afirmou.

Coração industrial do Canadá, Oshawa vive dias difíceis com o fecho da General Motors na região. Os sindicatos estão em luta, mas pouco serve de consolo para quem tem de repensar a vida, com o fim da produção anunciado.

Entre os trabalhadores, há quem acompanhe os altos e baixos que a empresa tem sofrido, nos últimos anos. "Estou aqui há 28 anos. Já passei por um encerramento em Scarborough, por outro em Londres. Mudei-me com a minha família duas vezes por esta empresa e eles fazem isso comigo. É horrrível", diz, quase em lágrimas, um trabalhador.

Até 2019, mais três fábricas vão ser encerradas, fora da América do Norte. Com uma quebra de vendas registada no mercado interno, desde 2016, a empresa planeia abandonar a produção de alguns modelos históricos e investir na produção de veículos elétricos. Com a restruturação da empresa, a General Motors espera uma redução de custos de seis mil milhões de dólares, isto é, mais de cinco mil e duzentos milhões de euros.