A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Atirador de Estrasburgo pode ser apenas um fugitivo em desespero

Atirador de Estrasburgo pode ser apenas um fugitivo em desespero
Direitos de autor
REUTERS/Christian Hartmann
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O suspeito pelo tiroteio no mercado de Natal de Estrasburgo está a ser identificado pelo nome Chérif Chekatt e, apesar de estar classificado como potencial jiadista, pode não passar de um delinquente armado que entrou em desespero perante a perseguição policial que lhe foi movida desde manhã.

O suspeito tem 29 anos, é natural de Estrasburgo e desde 2016 está classificado pela Direção Geral de Segurança Interna através de um ficheiro "S", procedimento das autoridades para qualquer pessoa com eventuais ligações a indivíduos ou organizações extremistas islâmicas e potenciais terroristas.

O ministro do Interior de França, Christophe Castaner, referiu contudo que o suspeito é apenas "conhecido das autoridades por delitos comuns pelos quais já foi condenado em França e na Alemanha, onde cumpriu penas."

Horas antes do tiroteio ocorrido pelas 19h50 (menos uma hora em Lisboa), a polícia procurou sem sucesso Chérif Chekatt no respetivo domicílio, mas apenas terá encontrado algumas granadas.

O suspeito estava a ser procurado por alegadas tentativas de roubo e homicídio, num caso em que alguns cumplíces terão sido capturados ao longo do dia.

Pelo menos dois irmãos do suspeito, um deles também classificado num ficheio "S", terão sido colocados em prisão preventiva.

De acordo com as informações difundidas por alguns meios de comunicação franceses, nomeadamente o jornal Le Figaro, as autoridades antiterrorismo não excluem a hipótese de o sujeito ter efetuado disparos junto do mercado de natal de Estrasburgo por desespero perante a perseguição policial e não por eventuais motivações terroristas.

O mesmo jornal já citado "desenhou" o percurso do suspeito pelo centro da cidade, entrando na ilha de Estrasburgo pela ponte do Corbeau, armado, dirigindo-se para a rua dos Orfévres, tendo efetuado os primeiros disparos na praça Kléber.