A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

"Coletes amarelos" abrandam protesto

"Coletes amarelos" abrandam protesto
Direitos de autor
REUTERS/Benoit Tessier TPX
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A tensão abrandou em Paris. Pela quinta semana consecutiva, os coletes amarelos estão na rua. Mas hoje são apenas cerca de um milhar, nos Campos Elísios. De acordo com as autoridades, algumas centenas em frente à Ópera. Todos com mensagens para o presidente francês.

"Nós não queremos viver da sua ajuda, não queremos viver com a ajuda de um estado bulímico que cada vez nos leva mais e nos dá menos. Queremos viver livres, livres de direitos para realmente desfrutar do produto do nosso trabalho", grita ao megafone um manifestante.

Começaram por protestar contra o aumento do imposto sobre os combustíveis. Hoje, 33 mil pessoas, em França, apelam a Macron por uma melhoria generalizada do nível de vida.

Alguns confrontos e mais de oito dezenas de detenções fogem da violência das semanas passadas.Tudo, na capital francesa, se passa sob o cerco policial de 8 mil agentes e 14 veículos blindados.

E, naquele que foi palco de tantos confrontos, surgem até manifestações artísticas, como as Marianne, da artista luxemburguesa Deborah de Robertis. Imóveis, em silêncio, mulheres de capa vermelha e seio à mostra são um símbolo da República em protesto.