Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Reino Unido prepara plano de contingência para o Brexit sem acordo

Reino Unido prepara plano de contingência para o Brexit sem acordo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O Reino Unido prepara-se para o "não acordo". Perante o cenário provável de a Câmara dos Comuns não aprovar o documento final para o abandono da União Europeia, Downing Street admite avançar com medidas extraordinárias, entre elas: a criação de um fundo de emergência de dois mil milhões libras (cerca de dois mil e duzentos milhões de euros), cartas com instruções e conselhos para 140 mil empresas, mensagens para os cidadãos e o reforço do contingente militar.

No parlamento o Secretário de Estado da Defesa britânico reconheceu que poderia até envolver os militares. "Até agora não recebemos nenhuma solicitação formal de nenhum departamento do governo, mas o que estamos a fazer é implementar planos de contingência, e o que faremos é ter 3500 funcionários, no ativo e na reserva, prontos para apoiar qualquer departamento do governo em quaisquer contingências que possam precisar", declarou Gavin Williamson.

O executivo de Theresa May está já a criar o pacote de medidas para absorver o impacto de um Brexit mais duro. Do outro lado, a União Europeia promete apresentar as próprias medidas de contigência, esta quarta-feira.

Poucos parecem acreditar numa transição sem consequências negativas para a estabilidade económica de ambos os lado. Peter Altmaier, Ministro das Finanças e da Energia da Alemanha, disse acreditar "que ninguém na Europa pode dar-se ao luxo de um mau Brexit. Um mau Brexit prejudicaria os interesses económicos de todos, especialmente do Reino Unido. É claro que não podemos excluir completamente o impacto económico negativo, mas podemos tentar limitá-lo até onde for possível".

A 14 semanas do Brexit, o governo britânico quer assegurar sobretudo o regular funcionamento do mercado, com ou sem acordo. Mas, garante, a prioridade continua a ser levar a cabo a saída da União Europeia de mãos dadas com Bruxelas.