Última hora

Última hora

Kim Jong-Un diz que atitude de Pyongyang dependerá dos EUA

Kim Jong-Un diz que atitude de Pyongyang dependerá dos EUA
Tamanho do texto Aa Aa

A Coreia do Norte inicia 2019 com um aviso em forma de ameaça no ar: no discurso de Ano Novo, o líder norte-coreano, Kim Jong-Un, frisou que deseja melhores relações com os Estados Unidos, mas poderá mudar de atitude, se Washington mantiver as sanções ligadas ao programa nuclear de Pyongyang.

Kim Jong-Un: "Se os Estados Unidos menosprezarem a paciência do nosso povo, nos impuserem algo e continuarem com sanções e pressão, sem cumprirem a promessa feita perante todo o mundo, não teremos outra opção do que explorar uma nova via para proteger a nossa soberania."

Washington exige uma desnuclearização "verificada na totalidade" antes do levantamento da integralidade das sanções.

Kim Jong-Un: "Agora que a Coreia do Norte e do Sul optaram pelo caminho da paz e prosperidade, insistimos que os exercícios militares conjuntos com forças externas devem deixar de ser permitidos e a instalação de armas de guerra estratégicas deve parar completamente."

O líder norte-coreano diz-se disposto a voltar a encontrar "em qualquer momento" o presidente norte-americano para, nas suas palavras, "produzir resultados que sejam saudados pela comunidade internacional".

A reunião histórica de junho, em Singapura, entre Kim Jong-Un e Donald Trump terminou com uma declaração vaga a favor da desnuclearização, mas com poucos progressos desde então.