Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Kim Jong-Un diz que atitude de Pyongyang dependerá dos EUA

Kim Jong-Un diz que atitude de Pyongyang dependerá dos EUA
Tamanho do texto Aa Aa

A Coreia do Norte inicia 2019 com um aviso em forma de ameaça no ar: no discurso de Ano Novo, o líder norte-coreano, Kim Jong-Un, frisou que deseja melhores relações com os Estados Unidos, mas poderá mudar de atitude, se Washington mantiver as sanções ligadas ao programa nuclear de Pyongyang.

Kim Jong-Un: "Se os Estados Unidos menosprezarem a paciência do nosso povo, nos impuserem algo e continuarem com sanções e pressão, sem cumprirem a promessa feita perante todo o mundo, não teremos outra opção do que explorar uma nova via para proteger a nossa soberania."

Washington exige uma desnuclearização "verificada na totalidade" antes do levantamento da integralidade das sanções.

Kim Jong-Un: "Agora que a Coreia do Norte e do Sul optaram pelo caminho da paz e prosperidade, insistimos que os exercícios militares conjuntos com forças externas devem deixar de ser permitidos e a instalação de armas de guerra estratégicas deve parar completamente."

O líder norte-coreano diz-se disposto a voltar a encontrar "em qualquer momento" o presidente norte-americano para, nas suas palavras, "produzir resultados que sejam saudados pela comunidade internacional".

A reunião histórica de junho, em Singapura, entre Kim Jong-Un e Donald Trump terminou com uma declaração vaga a favor da desnuclearização, mas com poucos progressos desde então.