EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Estado do Ceará cria gabinete de crise

Estado do Ceará cria gabinete de crise
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

No Brasil, o Ministério Público do Ceará criou um gabinete de crise para combater a violência registada nos últimos dias.

PUBLICIDADE

No Brasil, o estado do Ceará vive há vários dias uma onda de violência. Para além do reforço policial, o Ministério Público estadual anunciou, esta segunda-feira, a criação de um gabinete de crise para acompanhar a investigação dos crimes.

Ainda a ferro e fogo, Fortaleza limpa os destroços de seis dias consecutivos de violência. Mais de 120 ataques foram registados desde 2 de janeiro. Uma onda de crimes, que já levou à detenção de 110 suspeitos e à morte de duas pessoas. Mas nem a chegada de 300 elementos da Força Nacional e o reforço da Polícia Rodoviária Federal e da Polícia Militar impediram grupos criminosos de incendiarem uma ambulância, uma loja e atacarem uma rádio, na última madrugada.

Sem fim à vista, a onda de violência terá começado pela mão de facções criminosas, como represália ao anúncio de medidas para endurecer o sistema penitenciário do Ceará.

Em resposta aos ataques, o governo estadual solicitou 60 vagas para transferir os chefes das organizações criminosas para prisões federais. Um pedido já aceite e posto em marcha pelo Ministério da Justiça. Nas prisões da região foram apreendidos mais de 400 telemóveis, televisores e droga.

O estado do Ceará, diz um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, tem quatro das cidades com mais violência do Brasil. Fortaleza foi já considerada a sétima cidade mais violenta do mundo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Força Nacional incapaz de travar onda de violência em Fortaleza

Ceará quer debater segurança após chacinas em guerra de gangues

Polícia liberta 17 reféns de assalto a autocarro no Rio de Janeiro