Última hora

Última hora

Macron institui dia do genocídio arménio em França e irrita Turquia

Macron institui dia do genocídio arménio em França e irrita Turquia
Tamanho do texto Aa Aa

A França foi um dos primeiros países a denunciar em 1915 o massacre do povo arménio pelo Império Otomano. Agora, o Presidente francês, Emmanuel Macron, anunciou o dia 24 de abril como dia da evocação do genocídio arménio.

A decisão foi comunicada num jantar com a comunidade daquele país em Paris e através da rede social Twitter.

O anúncio gerou imediatamente ondas de choque em Ancara, com o governo turco a criticar Macron por querer transformar acontecimentos históricos em capital político.

A Turquia rejeita de forma veemente a classificação de genocídio no massacre de arménios durante os últimos anos do império otomano, embora reconheça a existência de mortes.

Aliás, o tema é um ponto histórico de discórdia entre a Turquia e a União Europeia. A tensão agravou-se depois de abril de 2015, quando o Parlamento Europeu pediu ao governo turco o reconhecimento do genocídio.

O extermínio dos arménios ocorreu durante e depois da I Guerra Mundial e fez cerca de um milhão e meio de mortos.