EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Líderes africanos procuram solução para os problemas migratórios em Adis Abeba

Líderes africanos procuram solução para os problemas migratórios em Adis Abeba
Direitos de autor 
De  Bruno Sousa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Ministro dos Negócios Estrangeiros da Líbia garante que não existe escravatura no país mas admite tráfico de pessoas

PUBLICIDADE

Os chefes de Estado e de governo de África estiveram reunidos em Adis Abeba para a 32ª cimeira da União Africana. O problema dos refugiados, retornados e deslocados internos foi o prato forte do menu na capital etíope.

Mais de um quarto dos 25 milhões de refugiados mundiais é proveniente da África Subsariana. A questão preocupa os líderes africanos, que procuraram uma solução na cimeira de Adis Abeba. A Líbia, ponto estratégico na passagem para a Europa, é um dos países mais afetados. Mohammad Taha Siala, ministro dos Negócios Estrangeiros da Líbia, reconhece que a situação é complicada mas encara o futuro com otimismo:

"Não existe escravatura na Líbia, não existe na nossa religião nem nas nossas leis. Mas existem alguns traficantes que vendem pessoas a outros traficantes. Estamos a lutar contra isso e estamos satisfeitos por já existirem sanções da comunidade internacional para estes traficantes."

Além da questão migratória, o novo presidente da União Africana, Abdel-fatah Al-Sisi, prometeu ainda lutar contra o extremismo e o terrorismo, que definiu como as maiores ameaças ao continente.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Saúde e conflitos foram tema da 37ª Cimeira da União Africana - e Durão Barroso um dos convidados

Arábia Saudita matou centenas de migrantes - diz Human Rights Watch

Ellen Johnson Sirleaf clama por equidade e igualdade para as mulheres