Última hora

Polícia procura responsáveis de pacotes armadilhados em Londres

Polícia procura responsáveis de pacotes armadilhados em Londres
Tamanho do texto Aa Aa

A unidade de contraterrorismo da polícia britânica continua a investigar os motivos que poderão estar na origem do envio de pacotes com explosivos para os aeroportos de Heathrow, London City e para a estação de caminhos-de-ferro de Waterloo, em Londres.

Não há registo de feridos apesar de um dos dispositivos ter irrompido em chamas ao ser aberto no aeroporto de Heathrow.

A polícia irlandesa acompanha as investigações até porque pelo menos dois dos pacotes suspeitos tinham selos provenientes da Irlanda. O endereço do remetente mencionava, alegadamente, a cidade de Dublin.

A polícia não descarta qualquer possibilidade. Não está excluída a hipótese de os dispositivos terem sido usados para causar mal estar e gerar debate.

"Vimos um indivíduo solitário há alguns anos atrás (1999) a usar bombas de pregos em Londres, por isso poderia ser apenas uma pessoa ou um pequeno grupo. Mas os alvos propriamente ditos - dois aeroportos e uma estação de caminhos-de-ferro - não tendem a estar relacionados coletivamente. A polícia metropolitana de Londres já disse estar a tratar o caso como uma série. Os pacotes eram muito semelhantes e têm dados escritos à mão. Existem boas pistas de investigação para começar", sublinhou Graham Wettone, analista de policiamento.

Neste momento, o Reino Unido encontra-se no segundo nível mais alto de alerta de ameaça terrorista.

A par do republicanismo irlandês consideram-se outros motivos potenciais como a intervenção de alguém com opiniões acerca do "Brexit" ou de uma pessoa com problemas mentais.

A maior preocupação, para já, é que não apareçam mais pacotes como os encontrados.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.