Última hora

Última hora

Violência doméstica: Portugueses ligam mais para a linha de apoio

Violência doméstica: Portugueses ligam mais para a linha de apoio
Tamanho do texto Aa Aa

O relatório da Associação Portuguesa de Apoio à vítima é claro, os portugueses ligam cada vez mais para o a linha de apoio.

Em 2017, o número de chamadas que chegaram à APAV aumentou 19,2% em dois anos.

Num ano, 2017, a APAV recebeu mais de 40 mil chamadas.

Mas nem todas as vítimas chegam a apresentar queixa. Em 2017 chegaram à policia 16 mil denúncias relacionadas com violência doméstica, o crime mais sonante de todas as formas de violência contra pessoas.

Quase sempre associado ao sexo feminino, este é um crime que abrange tanto homens como mulheres. Vejamos o perfil da vítima:

De todas as pessoas que ligam para a linha da APAV para fazer queixa de violência doméstica, 82,5% são mulheres, com idade média de 42 anos, casadas e solteiras.

Os restantes 17,5% correspondem a homens, número que também tem aumentado de ano para ano.

O número de chamadas aumenta mas isso não quer dizer, obrigatoriamente, que há mais casos, mas sim mais pessoas dispostas a ligar para denunciar.

A violência doméstica continua a ser a razão principal para as chamadas que chegam à associação portuguesa, mas a APAV recebe queixas por telefone relacionadas com outras formas de violência:

Os dados foram retirados do Relatório anual de 2017 da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima.