Última hora

Última hora

Acidente da Ethiopian Airlines mata pessoas de 35 países

Acidente da Ethiopian Airlines mata pessoas de 35 países
@ Copyright :
REUTERS/Tiksa Negeri
Tamanho do texto Aa Aa

Um cidadão moçambicano está entre as vítimas mortais do despenhamento do Boeing 737 da Ethiopian Airlines, este domingo. O voo fazia a ligação entre as capitais da Etiópia, Adis Abeba, e do Quénia, Nairóbi.

A companhia de aviação confirmou, através do presidente, que todos os 157 ocupantes do Boeing 737 morreram. A queda deu-se seis minutos depois da descolagem, a 62 quilómetros de Adis Abeba, por motivos que estão ainda a ser investigados.

A bordo viajavam pessoas de mais de 30 nacionalidades, incluindo de vários países europeus. Não há portugueses entre as vítimas. Havia oito italianos, sete britânicos, sete franceses e cidadãos de vários outros países como Holanda, Espanha, Áustria, Suécia ou Polónia.

"Podemos agora confirmar que havia a bordo pessoas de pelo menos 35 nacionalidades. Digo pelo menos porque há ainda duas pessoas cuja nacionalidade é desconhecida. Entre os países mais afetados está, como devem imaginar, o Quénia, que tinha cerca de 32 passageiros no avião", disse, em conferência de imprensa, o ministro queniano dos transportes, James Macharia.

Esta é a segunda queda, em apenas quatro meses, de um avião do modelo 737-8 Max, da Boeing, um modelo novo em folha que só entrou em funcionamento no final de 2017.