A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Há menos enfermeiros portugueses a emigrar para o Reino Unido

Há menos enfermeiros portugueses a emigrar para o Reino Unido
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

De Portugal têm saído milhares de enfermeiros para o Reino Unido. Um terço dos enfermeiros portugueses formados em 2013 tiveram como destino estes países. Mas depois do referendo sobre o Brexit, estes profissionais começaram a pensar duas vezes antes de emigrarem para Terras de Sua Majestade.

Uma agência de recrutamento que ao princípio selecionava enfermeiros apenas para o Reino Unido teve de começar a procurar outros destinos, depois de o número de candidatos ter caído devido à introdução de um teste de língua inglesa e do Brexit. "Podemos dizer que em 2016, foram aproximadamente 60 enfermeiros, que nós integrámos em hospitais públicos e privados um pouco por todo o Reino Unido, se bem que o principal destino foi Londres. Em 2017, houve uma queda significativa. Recrutámos aproximadamente 20 enfermeiros, no ano de 2018 aproximadamente também 20 enfermeiros. Neste ano de 2019, temos dois enfermeiros em processo", afirma Nuno Silva, proprietário da Amplia.

Mas a agência diz que o Reino Unido não vai deixar de recrutar enfermeiros portugueses, até porque a sua qualidade está mais do que provada. A portuguesa Sílvia Nunes acaba de ser eleita a melhor enfermeira de Inglaterra. "Os nossos clientes, alguns hospitais públicos e também alguns privados, dizem que o Reino Unido não vai parar. Portanto, independentemente do que venha a acontecer, haverá sempre um interesse na contratação de enfermeiros estrangeiros e mormente enfermeiros portugueses. Se não fossem os enfermeiros portugueses o que é que seria do NHS (National Health Service) britânico? Porque a evidência é que eles necessitam sem dúvida alguma e se, porventura um dia, for necessário um visto de trabalho, eles comparticiparão sem problema algum", sublinha.

Depois do referendo sobre o Brexit, os enfermeiros portugueses começaram a procurar outros destinos de emigração, como a Alemanha e a Bélgica, mas o Reino Unido continua ainda a ser o principal destino.