Última hora

Última hora

Parlamento britânico aprova adiamento do Brexit

An anti-Brexit and a Pro-Brexit protester hold up signs in London, Britain
An anti-Brexit and a Pro-Brexit protester hold up signs in London, Britain -
@ Copyright :
REUTERS/Hannah McKay - REUTERS/Hannah McKay
Tamanho do texto Aa Aa

Os deputados britânicos aprovra o adiamento da data da saída do Reino Unido da União Europeia. 29 de março de 2019 é a data atual a que o chamado Brexit se deverá concretizar mas o parlamento de Londres aprovou uma moção do governo que aponta para o prolongamento da data do Brexit até 30 de junho, se for aprovado o acordo com a UE até 20 de março. Um adiamento que terá sempre de ser aceite pelos restantes membros europeus.

Mas antes foram votadas quatro emendas.

A deputada Sarah Wollaston, que abandonou o Partido Conservador e se juntou ao chamado grupo dos Independentes, desejava uma extensão do período atual de modo a que fosse possível realizar um novo referendo. A emenda que apresentou foi chumbada. 85 deputados votaram a favor, 334 contra.

O trabalhista Hilary Benn pretendia que na próxima quarta-feira fosse colocada na ordem do dia um processo que permitisse aos deputados levar a votos alternativas ao processo atual do Brexit. Uma emenda que foi reprovada por 2 votos, 312 deputados votaram a favor, 314 contra. Havia também uma emenda a esta proposta, da autoria da também trabalhista Lucy Powel, que queria alterar a data em causa e que foi rejeitada com 311 votos a favor e 314 contra.

A bancada do Partido Trabalhista apresentou também uma emenda para prolongar o período atual e permitir aos deputados encontrar uma maioria para uma abordagem diferente ao Brexit. 302 deputados votaram a favor, 318 contra

O trabalhista Chris Bryant queria levar a votos um texto para impedir a primeira-ministra Theresa May de apresentar de novo o seu acordo com a UE na Câmara dos Comuns. May quer levar a votos o acordo, pela terceira vez, na próxima semana, quando surge a possibilidade dos unionistas do DUP reverem a sua posição. Tendo em conta os restantes resultados Bryant retirou a sua emenda que acabou por não ir a votos.