A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Atacante de Christchurch impassível face a acusação

Atacante de Christchurch impassível face a acusação
Direitos de autor
Mark Mitchell/New Zealand Herald/Pool
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O extremista australiano de 28 anos que matou 49 pessoas em duas mesquitas de Christchurch, na Nova Zelândia, foi formalmente acusado de homicídio na primeira comparecência em tribunal este sábado.

Impassível, Brenton Tarrant, um antigo instrutor de "fitness" e autoproclamado "fascista", fez durante a audiência um sinal com as mãos característico dos defensores da supremacia branca.

Face às críticas de lentidão das forças da ordem, a primeira-ministra Jacinda Ardern disse que "o indivíduo foi detido 36 minutos depois do primeiro telefonema. Estava em movimento e tinha outras duas armas no veículo. A sua intenção era, sem sombra de dúvida, continuar o ataque".

O facto de Tarrant possuir várias armas adquiridas de forma legal levou Ardern a prometer uma revisão da legislação.

A curta distância do tribunal, 39 pessoas continuam hospitalizadas devido aos ferimentos sofridos durante o pior ataque dos tempos recentes contra a comunidade muçulmana num país ocidental.

Dois outros homens continuam detidos, mas a ligação exata com os acontecimentos ainda não foi estabelecida. Um dos indivíduos em questão, de 18 anos, já foi no entanto formalmente acusado de incitação ao ódio.