Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Theresa May quer adiamento do Brexit até 30 de junho

Theresa May quer adiamento do Brexit até 30 de junho
Direitos de autor
Mark Duffy/Handout via REUTERS
Tamanho do texto Aa Aa

Theresa May já disse qual era a sua intenção de extensão do Brexit. No Parlamento, a primeira- -ministra britânica diz que quer uma extensão até 30 de junho.

Jeremy Corbin, líder do Partido Trabalhista e da oposição, mostrou-se abertamente contra a sugestão de May e disse que não via as alterações significativas ao texto anteriormente apresentado.

De realçar que o acordo já foi rejeitado duas vezes pelo Parlamento britânico, primeiro a 15 de janeiro, e depois a 12 de março.

Esta terça-feira, Theresa May pretendia obter um voto favorável vinculativo da parte dos deputados, mas o presidente do Parlamento britânico, John Bercow, logo na segunda-feira, rejeitou essa hipótese por considerar que não havia alterações significativas ao acordo anteriormente chumbado.

Perante os deputados na Câmara dos Comuns, esta quarta-feira, a Primeira-ministra Britânica disse que escreveu ao Presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, a pedir uma extensão para a aplicação do Brexit até 30 de junho e que se estava a preparar para uma terceira votação sobre o acordo.

Para que o pedido britânico de um adiamento do Brexit seja aceite, os 27 países da União Europeia devem aprová-lo por unanimidade no Conselho Europeu de 21 a 22 de março.

A posição de Portugal é clara, tem de ser evitado, a todo o custo, o pior dos cenários, que é uma saída sem acordo.

O primeiro-ministro António Costa já disse que o adiamento é bem-vindo se tiver uma justificação e não se traduza num processo de prolongamento agónico da incerteza

O Reino Unido devia deixar a UE dentro de nove dias, mas o Parlamento britânico chumbou por duas vezes o acordo de divórcio da UE proposto por Theresa May.