Última hora

Última hora

Nova Zelândia proíbe armas de assalto e semiautomáticas

Nova Zelândia proíbe armas de assalto e semiautomáticas
Direitos de autor
REUTERS/Jorge Silva/Files
Tamanho do texto Aa Aa

Menos de uma semana depois do ataque contra duas mesquitas de Christchurch, que fez 50 mortos, o governo da Nova Zelândia anunciou a proibição da venda de todas as armas de assalto e semiautomáticas.

A primeira-ministra Jacinda Ardern tinha prometido reformar a legislação do porte de armas no rescaldo da tragédia:

"Vamos banir todas as espingardas de assalto. [...] Vamos banir todos os componentes com capacidade para converter armas semiautomáticas ou qualquer outro tipo de armas de fogo em armas semiautomáticas de tipo militar. Vamos banir componentes que permitam que uma arma de fogo dispare de forma semiautomática ou automática. Resumindo, qualquer arma semiautomática como a usada no ataque terrorista da passada sexta-feira será banida neste país."

Os primeiros enterros tiveram lugar esta quarta-feira. A polícia anunciou ter já identificado a totalidade das vítimas mortais, aliviando a frustração das famílias, já que o costume muçulmano dita que os mortos sejam enterrados o mais rápido possível.