Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Temer recusa depor no primeiro dia de detenção

Temer recusa depor no primeiro dia de detenção
Tamanho do texto Aa Aa

No primeiro dia de detenção, os advogados de Michel Temer não deixaram que o ex-presidente do Brasil prestasse depoimento, apesar de isso estar agendado para esta sexta-feira. Temer passou uma primeira noite nas instalações da superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro, onde está em prisão preventiva.

Temer é acusado de favorecimento a uma empresa dirigida por um amigo próximo, o coronel João Baptista Lima. Segundo os procuradores, é um esquema que dura há 40 anos: "Comparando os contratos que foram firmados entre a empresa Argeplan e entidades públicas, é visível que houve um crescimento exponencial nas contratações nos períodos em que Michel Temer ocupou cargos públicos. Esse é apenas um braço de uma organização criminosa que tem vindo a atuar nos últimos 40 anos", disse a procuradora Fabiana Schneider.

A investigação descobriu um esquema complexo para o pagamento de um suborno a Temer para a contratação de três empresas, entre elas a do coronel Lima, para um projeto da Eletronuclear. O sucessor de Temer na presidência brasileira, Jair Bolsonaro, já reagiu e disse que "a justiça existe para todos e cada um deve responder pelos seus atos".

Com Temer, são dois os antigos chefes de Estado brasileiros atrás das grades. O outro é Lula da Silva, condenado por corrupção. Sobre a prisão de Temer, Lula diz que "a investigação apenas quer desviar as atenções do descrédito em que estava a cair e ninguém pode ser preso sem o devido processo judicial".