Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Em terra de Shakespeare, o incómodo gerado pelo "Brexit"

Em terra de Shakespeare, o incómodo gerado pelo "Brexit"
Tamanho do texto Aa Aa

Como numa peça de teatro, repleta de emoções à flor da pele, na cidade natal de William Shakespeare, no Reino Unido, cresce o descontentamento relacionado com o processo do "Brexit."

Se os habitantes de Stratford-upon-Avon chocaram o mundo quando votaram a favor da saída do Reino Unido da União Europeia, agora, pelo menos, mostram-se, em parte, mais alinhados. Muitos consideram que as negociações foram uma humilhação.

"Se o 'Brexit' for bloqueado haverá uma revolta profunda subjacente e em vez de ser resolvido e passar à história será não uma ferida aberta mas antes uma ferida interna profunda que sangra lentamente", sublinha a vereadora do Partido Conservador Molly Giles.

Com um ADN puramente britânico, a cidade é o espelho da divisão que reina no país.

"Temos sido usados como um exemplo. O exemplo de que se nos tentamos apartar acabamos assim como país. Penso que Theresa May tem sido muito fraca e a combinação criou muitos problemas", lamenta Jeanette Field, uma habitante local pró-"Brexit."

Para alguns vale a pena continuar a fazer campanha pela permanência mesmo se os "remainers" fossem penalizados num segundo referendo.

É o caso e Jonathan Baker, um habitante local anti-"Brexit": "Se o Reino Unido acabar por abandonar a União Europeia, principalmente sem um acordo, existe uma vontade real, uma paixão real por continuar a fazer campanha pelo que pensamos ser a direção para o país."

Se na história de Romeu e Julieta a morte promoveu a reconciliação de duas famílias, a realidade atual é tudo menos romântica com uma busca desesperada por alternativas à situação em que o Reino Unido mergulhou.