Última hora

Última hora

Passageiros da WOW sentem-se enganados

Passageiros da WOW sentem-se enganados
Tamanho do texto Aa Aa

A companhia aérea islandesa, Wow, abriu falência, cancelando todos os voos previstos e deixando sem transporte milhares de passageiros.

A companhia que operava voos de baixo custo na travessia do Atlântico, limitou-se a aconselhar os passageiros a procurarem alternativas de voo noutras companhias aéreas. Os passageiros sentem-se ludibriados:

"Originalmente, o voo deveria sair às 19 horas. Às 19:15 disseram que seria às 21 horas, que estavam à espera da tripulação. Entretanto a equipa apareceu, e nada, apareceram os 11 membros da tripulação e estavam todos histéricos e disseram-nos para tentarmos voltar no dia seguinte. No dia seguinte acordei com um email dizendo que tinha acabado". "Eu só queria que a empresa tivesse sido mais transparente. Eu acho que a parte mais frustrante disto tudo foi a incompetência, o termos sido enganados. O pior foi eles terem estado a empurrar isto, sabendo como iria acabar. Foi dececionante. Ainda nos tentaram acomodar num hotel, para nos fazerem vir no dia seguinte", conta Peter Clark.

Foi com um simples comunicado que o patrão da companhia explicou que há seis meses que tenta, sem resultados, arranjar financiamento. O especialista em falências, Charles M. Tatelbaum, diz que o desfecho era previsível: "Algumas pessoas previram isto. Se olharmos para as finanças, podemos ver que estavam em apuros porque com as companhias aéreas o problema é liquidez e se ficarem sem dinheiro não podem comprar combustível. E a única diferença aqui é que geralmente há um aviso. Quero dizer, eles estavam a vender bilhetes ainda durante a manhã na Europa e decidiram anunciar o fecho ao fim da manhã e deixaram as pessoas penduradas".

A WOW transportou 3,5 milhões de passageiros no ano passado, cerca de 30% dos turistas que visitaram a Islândia. O desaparecimento da companhia faz temer uma queda de 16% nas receitas turísticas do país.