EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Equador desmente expulsão iminente do fundador do Wikileaks

Equador desmente expulsão iminente do fundador do Wikileaks
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O ministro equatoriano dos Negócios Estrangeiros e Mobilidade Humana, José Valencia, desmente que esteja iminente a saída de Julian Assange da Embaixada do país em Londres. A informação tinha sido avançada pelo Wikileaks, que citava "uma fonte de alto nível do Estado equatoriano".

PUBLICIDADE

O ministro equatoriano dos Negócios Estrangeiros e Mobilidade Humana, José Valencia desmente que esteja iminente a saída de Julian Assange da Embaixada do país em Londres.

A informação tinha sido avançada pelo Wikileaks, que citava "uma fonte de alto nível do Estado equatoriano". Segundo o tweet, o escândalo dos "INA Papers" seria o pretexto para expulsar o fundador do Wikileaks e haveria um acordo entre o Equador e o Reino Unido para a sua detenção.

O advogado de Assange garantiu que cliente não está envolvido na divulgação desses documentos, que levaram o Procurador-Geral do Equador a abrir uma investigação sobre o presidente Lenin Moreno e o irmão, em relação à alegada aquisição de bens através de empresas offshore.

Moreno acusou o Wikileaks de intercetar telefonemas e conversas privadas que teve.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Equador quer lutar contra o ciberterrorismo

Jovem de 13 anos morre após ataque com espada em Londres

Sunak anuncia: voos de deportação do Reino Unido para o Ruanda devem começar dentro de poucos meses