EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Sudão: Militares que derrubaram al Bashir não o entregam ao TPI

Sudão: Militares que derrubaram al Bashir não o entregam ao TPI
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os militares golpistas do Sudão n´ão vão entregar o ex-presidente. O TPI emitiu em 2009 e 2010 mandados internacionais de detenção contra Omar al Bashir.

PUBLICIDADE

Os militares que derrubaram o presidente Omar al-Bashir no Sudão já declararam que não entregam o ex-presidente ao Tribunal Penal Internacional (TPI).

O TPI emitiu dois mandados de detenção contra al Bashir, em 2009 e 2010, por crimes de guerra, crimes contra a Humanidade e genocídio, na região do Darfur.

Em nome do Conselho Militar de Transição, o coronel Omar Zein Abedeen, afirmou: "No que respeita à extradição do presidente, nós, enquanto militares, não o vamos entregar a estrangeiros. Isto, de acordo com os nossos valores e princípios. Alguém que vier a seguir a nós poderá fazê-lo, mas nós não. Estes são os valores e a moral dos sudaneses. Vamos processá-lo, mas não entregá-lo".

Para a porta-voz do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos , Ravina Shamdasani, o Sudão deve cooperar com a justiça internacional: "A nossa posição é muito clara. Nós encorajamos as autoridades do Sudão a cooperarem totalmente com o TPI. Houve uma resolução do Conselho de Segurança da ONU em 2005 a pedir a cooperação e a assistência das autoridades sudanesas ao tribunal, encorajando-as a cumprirem as suas obrigações nessa matéria e, sim, continuamos a encorajar o governo do Sudão a cooperar totalmente com o Tribunal Penal Internacional".

O conflito do Darfur custou a vida a 300 mil pessoas e obrigou 2,5 milhões a deslocarem-se. Os sudaneses não escondem a alegria pela destituição de al Bashir ainda que, para já, pouco ou nada tenha mudado no país.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Manifestantes sudaneses lutam contra desidratação

Sudaneses exigem governo civil

Manifestantes exigem justiça e não dispersam