EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Ucrânia pede intervenção da ONU sobre os passaportes russos

Ucrânia pede intervenção da ONU sobre os passaportes russos
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Vladimir Putin provocou reações em cadeia ao anunciar que vai conceder passaportes russos aos cidadãos do leste da Ucrânia. Kiev pede intervenção da ONU.

PUBLICIDADE

A Ucrânia solicitou ao Conselho de Segurança das Nações Unidas que tome medidas contra a decisão de Moscovo de conceder passaportes russos aos ucranianos que vivem nas regiões do leste do país, controladas pelos separatistas pró-Moscovo.

Para o embaixador ucraniano junto das Nações Unidas, a medida é simplesmente ilegal. Volodymyr Yelchenko afirmou: "Isto não é mais do que uma tentativa velada de reivindicar a ocupação em curso destes territórios, de os arrancar à Ucrânia e de desmembrar o meu país. Isto não é mais do que um pretexto artificial para continuar a enviar tropas russas para a Ucrânia e sustentar a agressão militar indisfarçada contra o meu país".

A resposta veio imediata do embaixador russo na ONU, Vassily Nebenzia: "Não estamos a interferir nos assuntos internos da Ucrânia, não estamos envolvidos numa anexação gradual. Estamos simplesmente a dar às pessoas a oportunidade de resolverem as questões que para elas são drasticamente importantes. E isso deve-se ao facto de as autoridades de Kiev se recusarem a fazê-lo."

A Uniã o Europeia condenou o movimento da Rússia na quinta-feira, designado-o como outro ataque de Moscou à soberania da Ucrânia.

François Delattre, o embaixador francês nas Nações Unidas, afirmou: "Esperamos que a Rússia proceda à reformulação de quaisquer ações que comprometam a implementação dos Acordos de Minsk e que impeçam o pleno restabelecimento do controlo do governo ucraniano sobre essas áreas, tal como previsto nos acordos. A Rússia deve, em particular, pôr termo ao seu apoio financeiro e militar aos separatistas".

Vladimir Putin provocou reações em cadeia ao anunciar esta medida de pressão sobre Kiev, três dias após a eleição de um novo presidente na Ucrânia.”

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Líder da República Sérvia volta a ameaçar saída da Bósnia-Herzegovina

ONU avisa que sistema de saúde de Gaza "está de rastos" e suspende entregas de ajuda em Rafah

Afegãos procuram sobreviventes após as inundações que causaram centenas de mortos