Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Presidente do Kosovo diz que UE está "demasiado fraca" para mediar negociações

Presidente do Kosovo diz que UE está "demasiado fraca" para mediar negociações
Direitos de autor
Michael Sohn / Reuters
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O Presidente do Kosovo afastou hoje qualquer hipótese de acordo sobre as relações do país com a Sérvia sem a participação dos Estados Unidos, considerando que a União Europeia está "demasiado fraca e desunida" para mediar sozinha as negociações.

Hashim Thaci emitiu estas declarações após uma reunião à porta-fechada com a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, à margem de uma cimeira dos líderes balcânicos em Berlim, convocada pela Alemanha e pela França para retomar as conversações há muito tempo suspensas entre os dois países vizinhos.

O Kosovo proclamou a sua independência da Sérvia em 2008, depois de travar uma guerra entre 1998 e 1999 que terminou com a intervenção da NATO para pôr fim à sangrenta repressão sérvia dos separatistas albaneses do Kosovo.

A Sérvia não reconhece a independência do Kosovo, mas foi dito a ambas as partes que devem melhorar as relações bilaterais se querem aderir à União Europeia (UE).

O bloco comunitário tem mediado as negociações destinadas a solucionar o longo conflito balcânico desde 2011.

Embora o Presidente sérvio, Aleksandar Vucic, procure formalmente a adesão à UE, ele tem gradualmente aproximado a Sérvia da Rússia: na semana passada, reuniu-se com o Presidente russo, Vladimir Putin, durante uma cimeira na China e disse que a Rússia apoia a Sérvia na defesa dos seus interesses no Kosovo.

Na reunião de hoje em Berlim, que inclui também líderes de outros Estados da região, espera-se que seja igualmente abordada a controversa sugestão de uma troca de terras entre os dois países, sobretudo ao longo de linhas divisórias étnicas - uma coisa que muitos na UE esperam conseguir impedir.

Reuters
Angela Merkel, Hashim Thaci e Emmanuel Macron em BruxelasReuters

Apesar de nunca ter sido oficializado, pensa-se que Vucic e Thaci pretendem fazer mudanças, ou "correções", às fronteiras do Kosovo, no âmbito de um acordo geral.

À margem das reuniões, Vucic disse à imprensa: "Somos contra mudanças nas fronteiras, mas estamos disponíveis para falar sobre todas as soluções possíveis".

À entrada para a cimeira, a chanceler alemã, Angela Merkel, e o Presidente francês, Emmanuel Macron, reduziram as expetativas de resultados concretos, afirmando que se trata sobretudo de proporcionar aos líderes regionais uma oportunidade de diálogo para discutiram as questões em aberto.

"É um passo num caminho muito longo, e não necessariamente um processo orientado para a obtenção de resultados hoje", declarou Merkel à imprensa.

Macron acrescentou que é do maior interesse da Europa promover a estabilidade na região.

"Não temos qualquer intenção de prescrever uma solução", disse o chefe de Estado francês, segundo o qual os líderes dos Balcãs querem "analisar todas as opções possíveis, debatê-las pacificamente e avançar sem tabus e sem provocar novas tensões regionais".

Mogherini desencadeou a ira do Kosovo em dezembro passado, quando apelou às autoridades kosovares para levantarem as tarifas impostas aos bens procedentes da Sérvia, para apaziguar o conflito entre os dois países.