A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

1° de Maio assinalado na Europa

1° de Maio assinalado na Europa
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O Dia do Trabalhador foi assinalado com festa na Praça Vermelha, em Moscovo. Tal como nos tempos soviéticos, os russos desfilaram pelo centro da capital, mas em vez de bandeiras comunistas, exibiram as cores da Rússia.

Mas o ambiente terá sido bem diferente em São Petersburgo. De acordo com a agência AP, que cita o grupo OVD-info, foram detidas pelo menos 15 pessoas nas manifestações do 1° de Maio. A maior parte delas será apoiante de Alexei Navalny, opositor do presidente russo, e exibiria cartazes que diziam que "Putin não é imortal".

Os ferries ficaram atracados, os comboios não circularam e a maior parte dos serviços permaneceu fechada neste 1° de Maio, na Grécia. Não por ser feriado, mas por causa da greve contra as consequências da austeridade.

"Não é um feriado. É uma greve. É uma luta permanente e duradoura e este é o clímax, onde denunciamos tudo o que aconteceu. E o pior ainda está para vir", realça o reformado, Lefteris Pazoulis.

Reformados e trabalhadores queixam-se das medidas de austeridade tomadas durante o resgate, que atingiram os salários e as reformas.