Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

"Breves de Bruxelas": Extrema-direita - excepções e escândalos

"Breves de Bruxelas": Extrema-direita - excepções e escândalos
Direitos de autor
REUTERS/Rafael Marchante - A girl holds a carnation during a march marking the Carnation Revolution's 43rd anniversary in Lisbon, Portugal April 25, 2017
Tamanho do texto Aa Aa

Portugal é um dos quatro Estados-membros sem partidos de extrema-direita no Parlamento nacional. Os outros são a Irlanda, Luxemburgo e Malta. Além da crise financeira e da posição geopolítica, outra questão desempenha um papel importante na ascensão da extrema-direita na Europa: a migração.

No entanto, Nicholas Whyte, analista político no APCO Worldwide, diz que nestes quatro países não é um problema, mas uma vantagem.

"Malta tem a sua própria cultura mediterrânea muito específica, mas é um lugar de comércio, que sempre teve de estar aberto a outras influências para sobreviver. O Luxemburgo também, e nos últimos anos tornou-se cada vez mais rico ao atrair trabalhadores migrantes para apoiar a sua economia", explicou à euronews.

Este é o tema de abertura do programa "Breves de Bruxelas", que passa em revista a atualidade europeia diária. Em destaque estão, também, as seguintes notícias:

  • O Tribunal de Justiça da União Europeia rejeitou o recurso de Marine Le Pen sobre a devolução de 300 mil euros ao Parlamento Europeu. A líder da extrema-direita francesa vai ter entregar a verba que usou indevidamente com funcionários do partido que não trabalhavam para a instituição comunitária. No Twitter, Marine Le Pen disse que a situação é "absurda" e acusa os tribunais de não levarem em conta os documentos de justificação que apresentou.
  • O partido Alternativa para a Alemanha está com dificuldades em encontrar um local, em Berlim, para festejar a noite eleitoral. A força de extrema-direita viu o local escolhido cancelado, porque a responsável e os seus empregados receberam ameaças por telefone. As sondagens indicam que o partido será o quarto mais votado na Alemanha, obtendo cerca de 12% dos votos nas eleições europeias.
  • Quem quiser conhecer, gratuitamente, a mansão, em Espanha, onde se passou o alegado caso de corrupção do líder da extrema -dieita da Áustria pode participar num concurso. O jornal austríaco Oesterreich quer oferecer duas noites, para duas pessoas, numa casa luxuosa na ilha de Ibiza, local onde foi filmado o vídeo. O escândalo ditou a demissão do político e subsequente convocação de eleições antecipadas para setembro.