A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

"Breves de Bruxelas": Extrema-direita - excepções e escândalos

"Breves de Bruxelas": Extrema-direita - excepções e escândalos
Direitos de autor
REUTERS/Rafael Marchante - A girl holds a carnation during a march marking the Carnation Revolution's 43rd anniversary in Lisbon, Portugal April 25, 2017
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Portugal é um dos quatro Estados-membros sem partidos de extrema-direita no Parlamento nacional. Os outros são a Irlanda, Luxemburgo e Malta. Além da crise financeira e da posição geopolítica, outra questão desempenha um papel importante na ascensão da extrema-direita na Europa: a migração.

No entanto, Nicholas Whyte, analista político no APCO Worldwide, diz que nestes quatro países não é um problema, mas uma vantagem.

"Malta tem a sua própria cultura mediterrânea muito específica, mas é um lugar de comércio, que sempre teve de estar aberto a outras influências para sobreviver. O Luxemburgo também, e nos últimos anos tornou-se cada vez mais rico ao atrair trabalhadores migrantes para apoiar a sua economia", explicou à euronews.

Este é o tema de abertura do programa "Breves de Bruxelas", que passa em revista a atualidade europeia diária. Em destaque estão, também, as seguintes notícias:

  • O Tribunal de Justiça da União Europeia rejeitou o recurso de Marine Le Pen sobre a devolução de 300 mil euros ao Parlamento Europeu. A líder da extrema-direita francesa vai ter entregar a verba que usou indevidamente com funcionários do partido que não trabalhavam para a instituição comunitária. No Twitter, Marine Le Pen disse que a situação é "absurda" e acusa os tribunais de não levarem em conta os documentos de justificação que apresentou.
  • O partido Alternativa para a Alemanha está com dificuldades em encontrar um local, em Berlim, para festejar a noite eleitoral. A força de extrema-direita viu o local escolhido cancelado, porque a responsável e os seus empregados receberam ameaças por telefone. As sondagens indicam que o partido será o quarto mais votado na Alemanha, obtendo cerca de 12% dos votos nas eleições europeias.
  • Quem quiser conhecer, gratuitamente, a mansão, em Espanha, onde se passou o alegado caso de corrupção do líder da extrema -dieita da Áustria pode participar num concurso. O jornal austríaco Oesterreich quer oferecer duas noites, para duas pessoas, numa casa luxuosa na ilha de Ibiza, local onde foi filmado o vídeo. O escândalo ditou a demissão do político e subsequente convocação de eleições antecipadas para setembro.