Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Guaidó admite impasse nas negociações com Maduro

Guaidó admite impasse nas negociações com Maduro
Direitos de autor
REUTERS/Manaure Quintero
Tamanho do texto Aa Aa

A crise política na Venezuela voltou a entrar numa fase de impasse. O Presidente da Assembleia Nacional e auto-proclamado chefe de Estado admite que a mediação da Noruega não está a dar frutos. Juan Guaidó diz que só volta à negociação com Nicolás Maduro quando existir vontade de mudar. "Quando houver um novo encontro em Oslo com o Grupo Internacional de Contacto, é porque estamos mais perto de pôr fim à usurpação, rumo ao governo de transição e eleições livres. Quando estivermos prontos a dar um passo nessa direção, teremos alguma coisa. Agora ainda não," afirma.

Os fins de semana são aproveitados por Guaidó para fazer campanha. Diz que é preciso manter a pressão popular e aponta a contestação a Maduro como a principal razão para a reabertura de parte da fronteira com a Colômbia.

Os postos de passagem estavam encerrados há quatro meses. Foram reabertos este sábado por ordem do presidente em exercício, Nicolás Maduro.

Milhares de venezuelanos aproveitaram a medida para comprarem alimentos e medicamentos no país vizinho. Há longas filas para passar a fronteira nas duas pontes internacionais perto da cidade de Cucuta.

A crise económica no país levou a uma fuga sem precedentes de cidadãos para o exterior. Nas contas da ONU há mais de 4 milhões de venezuelanos refugiados.