Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Autoridades russas libertam jornalista detido na semana passada

Autoridades russas libertam jornalista detido na semana passada
Direitos de autor
REUTERS/Tatyana Makeyeva
Tamanho do texto Aa Aa

A polícia russa retirou as acusações de posse de drogas dirigidas contra o jornalista Ivan Golunov.

O jornalista especializado na luta anti-corrupção entre os funcionários municipais de Moscovo foi detido na quinta-feira passada e acusado de ofensas graves relacionadas com drogas.

Golunov contudo negou a posse de quaisquer substâncias proibidas.

A detenção do jornalista foi alvo da indignação dos seus apoiantes que ameaçaram sair para as ruas em protesto na quarta-feira.

O ministro russo do Interior, Vladimir Kolokoltsev, anunciou esta terça-feira que os polícias responsáveis pela detenção do jornalista haviam sido suspensos e que já estaria em curso uma investigação.

O recuo das autoridades, visto como invulgar, provocou reações entre os apoiantes de Golunov assim como entre a classe dos jornalistas, frequentemente alvo de perseguição.

Na segunda-feira, os três principais diários, Vedomosti, Kommersant e RBK, publicaram a mesma primeira página na qual se lia a frase "Nós somos Ivan Golunov".