A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Autoridades russas libertam jornalista detido na semana passada

Autoridades russas libertam jornalista detido na semana passada
Direitos de autor
REUTERS/Tatyana Makeyeva
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A polícia russa retirou as acusações de posse de drogas dirigidas contra o jornalista Ivan Golunov.

O jornalista especializado na luta anti-corrupção entre os funcionários municipais de Moscovo foi detido na quinta-feira passada e acusado de ofensas graves relacionadas com drogas.

Golunov contudo negou a posse de quaisquer substâncias proibidas.

A detenção do jornalista foi alvo da indignação dos seus apoiantes que ameaçaram sair para as ruas em protesto na quarta-feira.

O ministro russo do Interior, Vladimir Kolokoltsev, anunciou esta terça-feira que os polícias responsáveis pela detenção do jornalista haviam sido suspensos e que já estaria em curso uma investigação.

O recuo das autoridades, visto como invulgar, provocou reações entre os apoiantes de Golunov assim como entre a classe dos jornalistas, frequentemente alvo de perseguição.

Na segunda-feira, os três principais diários, Vedomosti, Kommersant e RBK, publicaram a mesma primeira página na qual se lia a frase "Nós somos Ivan Golunov".