Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Protestos levam a adiamento de debate mas os manifestantes querem mais

Protestos levam a adiamento de debate mas os manifestantes querem mais
Direitos de autor
REUTERS/Thomas Peter
Tamanho do texto Aa Aa

O debate parlamentar sobre a polémica lei da extradição foi adiado mas nem por isso o ambiente acalmou nas ruas de Hong Kong. Os manifestantes garantem que irão continuar os protestos até o projeto de lei ser abandonado, o que levou as autoridades locais a usar gás pimenta e balas de borracha na tentativa de dispersar a multidão.

O Governo de Hong Kong tentou colocar água na fervura e fez um apelo aos manifestantes para deixarem de bloquear as ruas para que a circulação volte ao normal o mais rapidamente possível, para manterem a calma e não cometerem nenhum crime.

A polémica lei passa a permitir a extradição quase automática de pessoas para a China continental, incluindo os dissidentes políticos que se encontram em Hong Kong. Para os manifestantes, a lei viola os termos do acordo entre o Reino Unido e a China, onde Pequim se comprometeu a manter o sistema judicial deixado pelos britânicos até 2047.