Última hora

Brexit e a incerteza económica no Reino Unido

Brexit e a incerteza económica no Reino Unido
Tamanho do texto Aa Aa

Enquanto muitas empresas deixam o Reino Unido por causa do Brexit, a gigante de telecomunicações japonesa NTT decidiu fazer o contrário. Abriu um centro de inovação em Londres que custou 39 milhões de euros.

E por isso impõem-se a pergunta: Porquê agora em Londres numa altura em que o Brexit provoca tanta incerteza?

A resposta é do Presidente executivo da NTT Ltd., Jason Goodall.

"Não estamos num ambiente regulado, como uma empresa farmacêutica ou um banco, somos uma organização digital em vez de uma fábrica ou outra coisa qualquer. Logo, do ponto de vista do modelo operacional, não somos afetados independentemente do que acontecer com o Brexit."

Mas o Brexit pode afetar os benefícios do acordo de comércio livre União Europeia - Japão do qual o Reino Unido também tira proveito. Com a saída da União Europeia, os dois países terão de fazer um novo acordo. Uma questão simples de resolver para o Presidente do Grupo NTT, Jun Sawada.

"Acreditamos que o governo do Reino Unido e o executivo japonês irão ter algum acordo em termos de livre comércio. Queremos ter uma parceria mais estreita entre os dois países, especialmente nas novas indústrias."

O repórter da Euronews, Damon Embling, lembra que "nem todas as empresas japonesas olham para o seu futuro aqui no Reino Unido com tanta confiança. Empresas como a Sony ou a Panasonic, por exemplo, mudaram a sede europeia para fora das terras de Sua Majestade. A fabricante de automóveis Honda anunciou que vai fechar a fábrica britânica em 2021 e a Nissan abandonou os planos de produzir aqui um novo modelo de carros."

Boris Johnson, o candidato favorito das sondagens para se tornar no próximo primeiro-ministro, diz que quer o Reino Unido fora da União Europeia até outubro, com ou sem acordo.

A Câmara de Comércio Britânica, pela voz de Suren Thiru, faz no entanto uma ressalva a esta pretensão de Johnson.

"Nos próximos anos, não queremos ver um retorno à velha inação política que temos visto. Precisamos de um caminho claro para depois do Brexit e que a mensagem de um Brexit sem acordo seja retirada da mesa. O que a nossa pesquisa mostra é que uma saída desordenada da União Europeia terá um enorme impacto tanto no recrutamento como no investimento durante algum tempo."

Impasses e indecisões que contribuem para prolongar a incerteza nos negócios, isto três anos depois do referendo ao Brexit.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.