A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Guterres abre inquérito sobre ataques na Síria

Guterres abre inquérito sobre ataques na Síria
Direitos de autor
REUTERS/Brendan McDermid
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

As Nações Unidas vão lançar uma investigação sobre os recentes bombardeamentos na Síria que têm visado não só instalações ligadas à ONU nas zonas desmilitarizadas, mas que também provocaram mais de quatro centenas de mortos entre a população civil da região de Idlib, nos últimos três meses.

Foi o coordenador humanitário da ONU, Mark Lowcock, a denunciar uma "carnificina" desencadeada pelo governo sírio e pela Rússia. Perante a forte discordância do representante de Moscovo, António Guterres abriu um inquérito na sequência da petição apresentada por dois terços do Conselho de Segurança da ONU - liderados pelo Reino Unido, França e Estados Unidos, membros permanentes.

Idlib a 16 de julho, após raide aéreo

"Respeito completamente o direito que a Federação Russa tem de discordar da minha posição. Como também respeito os outros dez membros do Conselho de Segurança, que têm a opinião contrária. Acredito que este inquérito pode chegar a uma conclusão importante. E posso garantir que tudo será feito para assegurar a total objetividade das investigações", declarou o secretário-geral da ONU.

Os órgãos de comunicação estatais sírios anunciam, entretanto, que foi estabelecido um cessar-fogo. Bashar al-Assad aponta as zonas em questão como sendo dominadas por insurgentes do grupo jihadista Tahrir al-Sham, que emanou da al-Qaeda.