EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Erdoğan promete atacar curdos da Síria

Erdoğan promete atacar curdos da Síria
Direitos de autor Kayhan Ozer/Presidential Press Office/Handout via REUTERS
Direitos de autor Kayhan Ozer/Presidential Press Office/Handout via REUTERS
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O presidente da Turquia anunciou uma incursão militar na zona a leste do rio Eufrates.

PUBLICIDADE

A Turquia quer lançar uma ofensiva militar nas zonas da Síria controladas pelas milícias curdas do YPG. O anúncio foi feito pelo presidente Recep Tayyp Erdoğan, perante milhares de pessoas que assistiram à inauguração da nova autoestrada entre Istambul e Izmir.

"Vamos entrar a leste do Eufrates. Já partilhámos esta informação com a Rússia e com os Estados Unidos. É impossível mantermo-nos em silêncio enquanto houver fogo cruzado na fronteira, nesta região. Vamos continuar a lutar contra os inimigos do nosso país e grupos terroristas como o grupo de Fetullah Gulem, o Daesh ou o PKK", disse o presidente turco no discurso.

Não é a primeira vez que Erdoğan ameaça fazer uma incursão nesta zona. Da última vez, foi desencorajado pelos Estados Unidos, com quem fez um acordo para a criação de uma zona-tampão junto à fronteira.

As milícias curdas do YPG expulsaram o grupo Estado Islâmico e controlam agora esta região. A Turquia considera-as uma ameaça, já que são aliadas do Partido dos Trabalhadores do Curdistão, PKK, que opera na Turquia.

A administração do território controlado pelos curdos emitiu um comunicado onde diz que uma agressão por parte da Turquia só iria contribuir para um regresso do Daesh. Os Estados Unidos dizem que mantêm as negociações com o governo de Erdoğan.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Exército sírio avança sobre posições rebeldes

Líderes dos rivais regionais Grécia e Turquia reúnem-se para estreitar relações

Responsáveis da discoteca que ardeu em Istambul detidos para interrogatório